9 mitos sobre a Índia que você precisa parar de acreditar

Hoje eu quero falar de umas coisas que muitos acreditam sobre a Índia – e que são completamente falsas.  Muita gente, ao saber que eu passei uma boa parte da minha vida na Índia, me pergunta sobre a vida lá – e eu já ouvi muitas concepções erradas sobre como a vida supostamente seja no país.  Hoje eu vou tentar esclarecer alguns desses mitos.

Por exemplo, você tem que parar de acreditar…

ponte em kolkata, índia1. … que todos os indianos são pobres.

Sim, tem muita pobreza na Índia.  Mas você sabia que a casa mais valiosa do mundo está localizada em Mumbai?  Pertence ao bilionário indiano Mukesh Ambani.

Falando nisso, você sabia que Mumbai é a sexta cidade com mais bilionários na planeta?  Sim, Mumbai tem mais bilionários que São Paulo ou Rio – e também mais que cidades como Paris, Los Angeles, São Francisco, ou Tokyo.

E a Índia está entre os países com mais bilionários e milionários no mundo – tem mais lá que aqui no Brasil!

É verdade que a taxa de pobreza na Índia é muito alta.  Tem muita gente muito pobre na Índia – e quem viaja lá não vai poder escapar desse fato.   E a Índia sofre de um problema que os brasileiros também conhecem – um fosso grande entre os ricos e os pobres.  Esse problema é ainda mais agudo na Índia.

Mas com uma população tão grande em um país que está desenvolvendo tão rápido, as classes alta e média estão crescendo incrivelmente rápido também.  Quem viaja para a Índia achando que só vai ver gente pobre, realmente vai se surpreender!

2. … que tudo na Índia é sujo.

O fato é que uma grande porcentagem das casas na Índia provavelmente são mais limpas que a sua!  O importante aqui é a distinção entre a situação dentro e fora das casas indianas.

É verdade que as ruas indianas, no geral, são muito mais sujas que as nossas.  Durante uma viagem na Índia, você vai ver poeira e lixo nas ruas em muitos lugares (embora tenha um pouco de variação nisso entre as diferentes cidades do país).  A Índia, no seu processo de desenvolvimento, luta por uma gestão de saneamento básico para sua população enorme de mais de 1,2 bilhões de pessoas – e não parece ter muito sucesso nessa luta!

Vendo isso nas ruas, pode ser difícil entender que a limpeza realmente é muito importante para a maioria dos indianos – e dentro das casas indianas, você geralmente não vai ver lixo e sujeira.  Às vezes é até um pouco chocante sair das ruas sujas – e entrar em casas perfeitamente, impecavelmente limpas.  (Claro que não todas as casas no país são assim, mas é muito mais comum do que você provavelmente imagina!)

Por exemplo, os indianos nunca entram em casa com os sapatos que usam na rua – sempre deixam na porta.  Muitos indianos até acham nojento o costume no ocidente de caminhar pela casa com os mesmo sapatos que utilizamos na rua!

Mesmo não pisando em casa com os sapatos que usam na rua, ficam limpando as casas sempre.  Até muita gente da classe média tem uma moça que vem todo dia para limpar a casa toda – chãos, cozinha, banheiros, tudo.  E nas famílias que não tem dinheiro para isso, são as mães das casas que fazem toda a limpeza – e elas tipicamente trabalham muito para deixar tudo sempre limpo dentro de casa.

O problema de lixo na Índia não é uma questão de sujeira no geral – é mais uma falta completa de consciência sobre a importância de limpeza em espaços comuns.  A maioria dos indianos nunca jogaria lixo no chão em casa – mas as mesmas pessoas não têm nenhum problema em jogar o mesmo lixo na rua ou da janela de um trem ou ônibus.

Agravando o problema, tem uma falta de infraestrutura no país para lidar com a gestão desse lixo.  E por isso, é comum ver lixo acumulado em espaços comuns na Índia.  Mas não pense que seja assim dentro de todas as casas indianas!

3. … que todos os indianos são hindus.

Uns 80% da população da Índia é hindu – o que significa que 1 em cada 5 indianos é adepto de outra religião.

Por exemplo, mais de 10% dos indianos são muçulmanos – quer dizer, tem mais de 100 milhões de muçulmanos na Índia.  Uns 20 milhões de indianos são adeptos da religião do sikhismo – inclusive a maioria da população do estado de Punjab.  Tem até uns 20 milhões de cristãos na Índia – quer dizer, a Índia tem o dobro do número de cristãos de Portugal!

A Índia tem budistas, jains, zoroastrianos, judeus, e adeptos de religiões tribais indígenas também.  Para mais informações sobre as religiões da Índia, leia nossa página sobre o assunto!

4. … que todos os indianos são budistas.

No ultimo censo indiano, menos de 0,5% dos indianos se identificaram como budistas.  Apesar da religião ter nascido na Índia, hoje em dia a grande maioria dos budistas no mundo estão em outros países asiáticos como a China, Japão, e Tailândia.

Quem quiser achar budistas na Índia hoje em dia realmente tem que procurar, indo para as comunidades budistas que existem nas montanhas do Himalaia ou para os sítios históricos que atraem peregrinos budistas, principalmente dos outros países da Ásia.  Se você se interessa pelo budismo, recentemente publicamos um post no Blog Tudo Índia sobre onde você pode encontrar o budismo na Índia hoje em dia.

Mas não viaje para a Índia pensando que você vai ver templos budistas em todo canto!

5. … que todo indiano vive uma vida “espiritualizada”.

Muitos estrangeiros querem fazer uma viagem para a Índia em busca de espiritualidade.  Estudam a filosofia do hinduísmo ou budismo e leem os textos sagrados, começam a fazer yoga e praticar meditação, e acham que vão chegar à Índia e ver todo mundo fazendo igual – mas simplesmente não é assim.

É verdade que os rituais religiosos são muito importantes nas vidas dos indianos.  Muitos vão para os seus templos preferidos (ou mesquitas) com freqüência, toda semana ou até todo dia – e tem muitíssimos templos na Índia!  Muitos hindus têm altares em casa dos seus deuses preferidos e fazem sempre orações e oferendas.  Muitos fazem jejuns religiosos, peregrinações, etc.  Celebram todos os festivais e ritos de passagem das suas religiões durante as suas vidas inteiras.  E cerimônias religiosas (sobretudo do hinduísmo) entram em quase todo aspecto da vida na Índia – até um dia de filmagem em Bollywood começa com uma pequena cerimônia religiosa!

Mas o fato é que a busca de “espiritualidade”, como muitos estrangeiros entendem isso, está bem longe das vidas da maioria dos indianos.    A grande maioria nunca pensaria em ir passar os seus dias meditando e cantando mantras em um ashram – o que muitos estrangeiros pensam que seja uma coisa “típica” para fazerem durante uma viagem na Índia.  A verdade é que, apesar da vida na Índia ser muito diferente que no Brasil, as vidas cotidianas dos indianos – no mais fundamental – são como em qualquer outro lugar do mundo.  Eles passam os seus dias trabalhando ou estudando, cuidando dos filhos, se encontrando com os amigos para comer ou beber ou bater papo – igual qualquer brasileiro ou canadense ou francês ou chinês.

E existe uma gama de atitudes à “espiritualidade” e religião no país.  Muitos se identificam como hindus, por exemplo, simplesmente porque é a religião dos pais – mas só sabem do Mahabharata o que aprenderam na escola de criança.

A Índia tem sadhus (ascetas) e gurus e todos os outros homens “espiritualizados” que você provavelmente viu nos documentários.  Mas eles são uma porcentagem muito pequena da população enorme do país (os melhores lugares para ver muitos deles são os lugares sagrados do hinduísmo, como Varanasi ou Rishikesh).  E a maioria da população da Índia nem segue nenhum guru ou líder espiritual – é até mais comum consultar com astrólogos (jyotishis) antes de tomar decisões importantes!

A religião é uma parte importante das vidas de muitíssimos indianos.  Mas o trabalho, os estudos, a família, e os amigos também são – e são essas coisas que ocupam a maioria dos dias da maioria do povo indiano, não a busca de “espiritualidade”.

6. … que viajar na Índia é perigoso.

Eu só consigo pensar em 2 possíveis motivos para alguém pensar assim – ou simplesmente tem medo de coisas desconhecidas, ou ouviram algumas reportagens isoladas na TV (por exemplo, do famoso estupro coletivo em Nova Délhi no ano passado).  Nenhum lugar é completamente seguro, mas a verdade é que Índia tem muito menos crime violento que o Brasil.

Segundo o estudo mais recente das Nações Unidas (UNODC), a taxa de homicídio é sete vezes menor na Índia que no Brasil.  Comparando as maiores cidades dos 2 países, Mumbai tem uma taxa dez vezes menor que São Paulo!

Além disso, em comparação com o Brasil, quase não existe assalto nas ruas da Índia.  Então, se a grande maioria dos turistas no Brasil desfrutam de uma viagem sem incidente, isso vale ainda mais para a Índia.  E a taxa de crime violento na Índia é até menor que nos Estados Unidos – então se você só quer viajar em lugares mais seguros, melhor Mumbai que Miami!

É claro que nenhum lugar no mundo é completamente livre de crime – a Índia também não.  Mas a regra na Índia é simplesmente a de “bom senso”.  Tem “crime de oportunidade” mais do que crime violento – o tipo de incidente mais comum é, por exemplo, furto de bagagem quando alguém deixa a mala desacompanhada no trem.  Como sempre, é preciso ter bom senso – e não deixar as suas malas desacompanhadas no trem!  Mas nem isso é tão comum – o “roubo” mais frequente é de vendedores que se aproveitam da ignorância dos estrangeiros para cobrar preços ridículos!

As notícias daquele estupro coletivo em Nova Délhi chegaram aos jornais brasileiros no ano passado.  E a verdade é que em várias cidades no norte da Índia, inclusive Nova Délhi, é recomendado para mulheres não andarem sozinhas pela cidade à noite.  Mas o resto do país é mais seguro.  E mulheres acompanhadas geralmente não têm problemas em nenhum lugar.  (Imagina se as notícias de cada assalto e estupro no Brasil chegaram a todas as TVs no exterior – nenhum turista nunca ia visitar o Brasil!)

A Índia é um país com muito machismo e tem o problema da violência sexual, mas a taxa (segundo os estudos mais recentes das Nações Unidas) é ainda menor que em países como os Estados Unidos.  Além disso, quase todos esses casos acontecem entre conhecidos, especialmente parentes e vizinhos.  (Mas esses incidentes podem acontecer em qualquer lugar no mundo, inclusive na Índia – então vamos apresentar mais informações em breve sobre segurança para mulheres viajando especificamente na Índia.)

Dito isso, tem coisas que os indianos fazem que podem fazer muitos estrangeiros (especialmente mulheres) se sentirem desconfortáveis – o costume indiano de olhar fixamente nas pessoas é só um exemplo disso.  Gente branca e mulheres (indianas e não) recebem mais dessas olhadas fixas.  Mas geralmente não tem nenhum perigo nisso – é só desconfortável (às vezes muito!) para ocidentais que não são acostumados.

De novo, nenhum lugar no mundo é seguro – mas a Índia é, no geral, muito mais seguro que o Brasil.  A regra, como sempre, é a do bom senso.

7. … que todos os indianos são vegetarianos.

Tem muitos vegetarianos na Índia – entre 20-40% da população (250-500 milhões de pessoas)!  Mas isso significa que a grande maioria dos indianos – 60-80% da população (750-950 milhões de pessoas) – não são vegetarianos.

A taxa alta de vegetarianismo é devido principalmente à influência da religião hindu.  Outro fator é a pobreza no país, combinado com o fato que a carne custa muito.  Até muita gente que come carne só come de vez em quando, em ocasiões especiais, porque a carne é cara demais para comer com mais frequência.

A Índia é o melhor lugar no mundo para vegetarianos viajarem.  Mas não é porque só tem comida vegetariana lá – é porque sempre tem opções para vegetarianos.  Até no Subway ou no McDonalds, vegetarianos acham uma variedade de sanduiches sem carne, com paneer (um tipo de queijo), batata, ovo, etc.  Tem muitos restaurantes no país inteiro que são só vegetarianos, especialmente nos lugares que são sagrados para os hindus (Rishikesh, Haridwar, etc.) e nas outras regiões com altas taxas de vegetarianismo (por exemplo, no estado de Gujarat e várias regiões do sul).  Mas nos outros restaurantes, na maior parte do país, é comum ter o cardápio dividido entre pratos de frango, cabra, camarão, peixe (em regiões litorâneas), paneer, e outros pratos vegetarianos – com uma boa seleção de opções em cada categoria.

Isso significa que vai ser fácil achar um churrasco na Índia?  Não.  A carne na Índia tipicamente vem muito temperada – e nos pratos principais, quase sempre vem pedacinhos de carne em um molho.  Mesmo nos pratos “secos” de carne (por exemplo, tandoori chicken e a grande variedade de kebabs no norte do país), a carne é preparada com muitas especiarias.  É fácil achar pratos com carne na maior parte da Índia – mas é quase impossível achar um simples bife grelhado ou frango assado, sem temperos ou molhos!

E é verdade que os indianos não comem carne de vaca?  Para a grande maioria da população, sim.  Mas os mais de 10% da população indiana que são muçulmanos comem carne bovina.  Muitos cristãos indianos também comem carne bovina.  E no estado de Kerala, até muitos hindus comem carne bovina.  Porém, a população hindu do resto do país (assim como os indianos que seguem o sikhismo ou o jainismo) não comem a carne da vaca – e até acham nojento a ideia de comer a carne de um animal que é sagrado para eles.

8. … que a Índia inteira é quente e úmida.

Sim, a maioria da Índia é quente a maior parte do ano.  Mas os invernos ficam frios em cidades como Nova Délhi e Bangalore – leve roupa adequada se for visitar nessa época do ano!

E nem preciso falar das montanhas altas do Himalaia – na verdade, a palavra “Himalaia” significa “morada de neve”.  Tem lugares (como a região de Ladakh) que você só pode chegar por terra durante três meses cada ano – pois as estradas fecham os outros nove meses do ano por causa da neve!

Para mais informações sobre o clima da Índia e quando é melhor visitar o país, leia nossa página sobre o assunto.

9. … que a Índia que conhecemos hoje é uma antiga entidade homogênea.

As várias culturas da Índia são muito antigas mesmo.  Mas a entidade – o país – que hoje chamamos à “Índia” é, de fato, uma instituição relativamente recente.  E a cultura “indiana” é o produto de uma mistura de antigas culturas diversas com histórias variadas.

Durante a maior parte dos últimos milênios, as várias regiões do subcontinente indiano se desenvolveram de jeitos tão diferentes como as várias regiões do continente europeu.  Rajasthan, Tamil Nadu, Bengala, e Kashmir (Caxemira), por exemplo, têm histórias tão diversas como Portugal, Grécia, Polônia, e Noruega.

A maioria da história do subcontinente é caracterizada por um grande número de reinos distintos, com vários impérios surgindo, expandindo, e logo sumindo.  Em alguns poucos momentos da história, um império conseguiu capturar a maioria do que agora chamamos a Índia, como o Império Romano conseguiu fazer na Europa.  O Império Mauria (faz mais de dois milênios) e o Império Mughal (faz uns cinco séculos) eram os maiores impérios no subcontinente antes dos britânicos – mas até esses impérios poderosos nunca subjugaram o sul.

O império britânico foi o primeiro que conseguiu chegar até o extremo sul do subcontinente – mas até eles não conseguiram capturar algumas regiões litorâneas que eram colônias portuguesas e francesas.  E a “Índia” britânica foi muito maior que a Índia atual – incluiu até os territórios que agora são os países de Paquistão e Bangladesh!

Mesmo assim, foi durante a época colonial britânica que uma identidade “indiana” realmente surgiu.  Quando o povo conseguiu a independência dos britânicos em 1947, a “partição” da imensa colônia britânica ocorreu – e a Índia tomou mais ou menos a forma que conhecemos hoje.  (As últimas colônias portuguesas foram integradas no novo país em 1961.)

Por que tudo isso é tão importante?  Porque as identidades regionais ainda são muito fortes na Índia.  Os indianos não são só indianos – são panjabis, marathis, gujaratis, bengalis, tâmils, e muitos outros grupos étnicos.  E estas identidades são bem mais fortes que as identidades paulistas, cariocas, etc. – todos esses povos diversos na Índia até falam idiomas completamente distintos!  Perguntar se alguém fala “indiano” é igual a perguntar se ele fala “europeu” – são línguas que simplesmente não existem.  Determinando até as suas línguas maternas, as identidades regionais são profundamente importantes para os indianos.

A identidade unificada “indiana” também se concretizou nestes últimos séculos – e talvez seja um tipo de milagre que uma população tão diversa e grande conseguiu se unir até este ponto!  A luta prolongada para independência foi talvez a primeira coisa que uniu os diversos povos indianos, mas agora, com uma história em comum como país independente, tem muito mais unindo eles – até a seleção nacional de críquete faz um papel importante nisso!

Hoje em dia, os indianos são extremamente patrióticos e dedicados ao país.  Quase sempre ficam imensamente felizes quando um estrangeiro mostra um interesse genuíno na cultura da Índia – e muitos (embora não todos) defendem o país vigorosamente quando alguém fala ruim de qualquer aspecto da vida na Índia!  É bom para os estrangeiros entenderem que a Índia realmente é um “projeto” difícil – um experimento que une mais de um bilhão de pessoas de diversas etnias, religiões, línguas, histórias, e culturas para viver juntos como compatriotas.

Isso não é fácil – e apesar das várias tensões sociais e outros problemas que existem no país, a opinião de muitos indianos é que o projeto tem sido relativamente bem-sucedido até agora!

Então tudo que você ouviu falar sobre a Índia é falso? Claro que não! Leia também sobre 5 coisas que você ouviu falar da Índia que são verdadeiros!  E curta o Tudo Índia no Facebook para ficar sempre atualizado com as novidades do Blog Tudo Índia!




Sobre

Nasci nos Estados Unidos e vivi na Índia intermitentemente entre 2006 e 2014, em cidades como Ahmedabad e Mumbai. Atualmente moro em Minas Gerais. Já viajei em mais de 70 países, mas a Índia sempre vai ser muito especial para mim!

Publicado em Cultura Indiana Marcado com: , , , ,
46 comentários sobre “9 mitos sobre a Índia que você precisa parar de acreditar
  1. Liv disse:

    Muito bom post! Aguardando o post sobre segurança para mulheres que viajam para a India…
    Obrigada

  2. Juliana disse:

    Ola!!Otimo post e resumiu bem mesmo os estereotipos que as pessoas tem da India. Eu moro em Mumbai e tambem tenho um blog onde tento desfazer um pouco esses “mitos” que a midia criou na cabeca dos brasileiros.
    http://www.tabibitosoul.com
    E, tambem tenho um canal no Youtube onde falo sobre a India. Inclusive, um dos videos mais recentes eh exatamente sobre dicas para mulheres que querem vir a India. (Peco desculpas pela falta de acentos no texto). Um abraco e sucesso!
    Juliana

    • Alex disse:

      Oi Juliana! Que legal!
      Vi que você trabalha com tradução; eu também sou tradutor profissional! É assim que eu ganho a vida quando não tou lá em Bollywood… 🙂

      • Juliana disse:

        Oi, Alex!!Que bacana!! No momento eu estou trabalhando mais como interprete, mas tambem faco trabalhos de traducao. Um abraco e muito sucesso com o blog!!

  3. Maria de lourdes disse:

    Um dia vou conhecer a India…e amo o povo , o cinema , a comida, tudo da Índia…

  4. Tb curti. Nao viajou em momento nenhum. Otimo post. É isso mesmo.

  5. Camila disse:

    Adorei, bom descobrir teu site!! hehe
    Meu sonho é fazer um intercâmbio na India =)

  6. Ana Celia Rodrigues disse:

    Ótimo texto. Eu ainda fico perplexa com brasileiro que mora no RJ dizendo que choque cultural. A verdade é que a Índia é muito parecida com o Brasil nos quesitos pluralidade e sujeira.

  7. Daniella disse:

    Adorei o post, é o mesmo rotulo que nós brasileiros temos no exterior, futebol, carnaval, samba e etc. Desmistifica muita coisa! Parabéns pelo trabalho, a Índia já está nos planos de próximas viagens.

  8. blue butterfly disse:

    Oi Alex! realmente muito bom o seu texto, fui pra mumbai e vi muita riqueza la muito mais do que aqui no Brasil, e sim comprar uma casa ou apartamento simples sem luxo em mumbai eh realmente carissimo tipo dois dormitorios la pode custar 1 milhao e meio de reais ( ja passando pra nossa moeda) ou mais… As pessoas do ocidentes ( inclusive eu antes de ir la e morar la), tem uma ideia completamente fora do que eh realmente a India, eh quase a mesma ideia que os estrangeiros tem do Brasil resumindo em futebol, samba, e amazonia…

  9. Cintia Ruiz disse:

    Eu ja fui para india, se senti otima, quero muito voltar, todos deveriam ir pra la, é uma sensação otima e eles te recebem de braços abertos.

  10. Alok disse:

    Muito bom post!! Muito impresionante. Sou Indiano e nao posso expessar as coisas assim eu mesmo.

    • Alex disse:

      Obrigado, Alok! Às vezes os meus amigos indianos falam (brincando) que eu sou mais indiano do que eles, haha :p … mas a verdade é que eu ainda olho às coisas lá com o olhar de quem nasceu e cresceu em outro lugar…

  11. Mary disse:

    entao me tire duas duvidas? Eh verdade q na india as pessoas nao usam papel higienico e q e possivel se ver restos mortais d humanos em qualquer lugares nos lugares d pobrezas ?

    • Alex disse:

      Oi Mary!

      1) Sobre papel higiénico: Sim, isso é verdade! Eles lavam com água em vez de enxugar com papel, igual muitos outros países asiáticos. Vou escrever mais sobre isso no próximo post no blog! 😉

      2) Sobre restos mortais de humanos: Não, não é verdade que se vê isso em qualquer lugar, realmente não é muito comum.

  12. Marta Addeo disse:

    Fui à India em 2013, fiquei apaixonada com tudo que vi e que senti! Adoraria voltar e conhecer os lugares que não pude ir. É mais que uma viagem, uma experiência maravilhosa! Adorei seu post!

  13. Mary disse:

    Interessante…. Obrigada por me tirar as duvidas!

  14. Neelu Kumar disse:

    Oi Alex,tudo bem?
    Muito bom texto,e muito obrigado por representar o nosso pais.Só descobri hoje esse site, adorei.
    Abç,
    Neelu Kumar

  15. Carlos Eduardo disse:

    Amei tudo que você disse Alex, minha irmã começou a namorar um indiano e ela está na India nesse monento com ele, foi junto com o meu pai pra lá. Eles estão amando conhecer lá. Eu tinha uma imprensão meio equivocada da India, mas lendo todo o teu blog sobre a India e vendo todos os depoimentos de pessoas que foram pra India, fiquei surpreso e com vontade de ir pra lá também. hehe

  16. Rodrigo disse:

    Olá Alex, parabéns pelo seu blog! Estou lendo uma biografia de Gandhi então estou me informando mais sobre a cultura indiana. Olha, já faz alguns anos que eu conheço e acesso o site indiagestao.blogspot.com.br, você o conhece?
    A autora mora na India há muitos anos mas só mostra o lado ruim da Índia (ela apresenta os motivos em algumas postagens). Você teria uma opinião sobre esse site?

  17. Alex disse:

    Oi Rodrigo,
    Acho que eu vi alguém fazer referência a esse site em algum lugar, mas eu nunca li (dei uma olhadinha rápida agora…)
    Posso dizer o seguinte: a Índia tem os seus lados bons e os seus lados ruins, igual o Brasil ou a França ou os Estados Unidos ou qualquer outro país. Tem gente que só fala do bom e finge que o ruim não existe, e tem gente que só fala do ruim e finge que o bom não existe… e os 2 são iludidos. A maioria dos indianos reconhece os 2 lados, e a maioria dos estrangeiros que moram na Índia também…

  18. Luana disse:

    Me interessei pela Índia lendo um livro, até então tinha ouvido poucas coisas sobre o país, mas lendo essa matéria me fez ficar ainda mais curiosa sobre a cultura. Obrigada pelas informações, e continuarei buscando mais informações aqui no seu blog.

  19. Barbara Furtado Barra disse:

    Otimo post. Eu quebrei esses e outros paradigmas quando fui a Índia. Claro que achei um lugar transcendental e mudou minha forma de ver o mundo. Espero voltar logo. Parabéns

  20. Julie disse:

    Moro nos Estados Unidos e estou namorando um indiano. Confesso que os costumes dificultam nosso namoro, principalmente ao que diz respeito à culinária. Não consigo comer a comida indiana e percebo que ele não está muito interessado em comer a comida que eu preparo. Queria saber mais sobre a ligação e costumes sobre a culinária indiana. Se é normal um indiano recusar a comida da namorada no princípio do namoro, ou formas de cozinhar que são exigidas na cultura. Detalhe, ele não é hindu, ele é muçulmano. Agradeço desde ja?.

    • Alex disse:

      Oi Julie, esse detalhe dele ser muçulmano é muito importante, pois os costumes dos muçulmanos e hindus são muito diferentes. Na religião islâmica, tem um sistema de regras sobre comida. Comida que conforme às regras da religião é chamada de “halal” – e um muçulmano religioso não deve comer nenhuma comida que não seja “halal”. Você pode pesquisar mais informações sobre o “halal” na internet – afeta principalmente as carnes. Isso não tem nada a ver com a Índia; são regras que todos os muçulmanos do mundo deveriam seguir. Então, se ele for religioso, pode ser isso – você teria que perguntar para ele.

      A única outra possibilidade que eu consigo pensar agora (e o que eu acho mais provável) seria que talvez ele esteja acostumado a comer comida muito temperada, e pode ser que você usa poucos temperos – e assim ele acha meio sem gosto. É comum indiano viajar para o exterior com temperos na mala para cozinhar comida indiana (bem temperada) onde ele estiver! Definitivamente não é normal um indiano recusar a comida da namorada em nenhum momento – mas é muito normal um indiano não gostar de comida pouca temperada. Você pode perguntar para ele se o problema é isso.

      Espero que isso tenha ajudado um pouco!

  21. Sil disse:

    Olá, A qual aspecto da cultura indiana vc atribui o machismo tão forte? Tem a ver com o hinduísmo? De onde vem essa noção machista na cultura indiana, são componentes históricos, ou o quê? Grata pela resposta.

    • Alex disse:

      Bom, essas coisas são muito complicadas. A qual aspecto da cultura brasileira podemos atribuir o machismo forte no Brasil? E que tal o dos países árabes? O machismo na Índia, no geral, é pior que no Brasil (na minha opinião) – mas a situação nos países árabes é ainda pior que na Índia. Todas essas situações são muito, muito diferentes – mas o que têm em comum é que todas são muito complicadas (e quem quiser analizar muito pode escrever livros inteiros sobre cada!)

      Sim, é claro que a religião e outros fatores socioculturais (ao longo da história) fazem papel em todos esses casos – mas também acho que não é uma coisa que ninguem pode explicar em umas frases só, ou atribuir a um ou dois aspectos da cultura…

  22. Alexandre Diniz disse:

    Tenha a santa paciencia! Quanta merda voce fala da India comparando com o Brasil. A India ‘e o esgoto do mundo. Morei nesse lugar horroroso tambem. Gente pilantra, ordinaria, hipocrita, mal-carater, imunda etc. etc. De fato, ‘e mais segura que no Brasil, mas ‘e sim um pais muito perigoso e assustador. A India ‘e o inferno na Terra. Quer confirmar, va a India. Incredible India! Que nojo!

    • Alex disse:

      Hum, que pena que você só conheceu gente ruim na Índia — mas não pode ser mais óbvio que você faz parte de uma minoria. Como qualquer outro país do mundo, a Índia tem muitos lados bons e muitos lados ruins (e gente boa e gente ruim) — e todo mundo que morou na Índia e leu este post e comentou aqui ou no facebook conseguiu ver estes dois lados. De fato, várias pessoas que moraram na Índia comentaram no facebook que elas estão sempre falando estas mesmas coisas para os seus amigos no Brasil! (Não sei porque só você não conheceu gente boa na Índia — e estou até curioso saber o que você estava fazendo aqui para ter só gente ruim ao seu redor!)

      Tem gente que fala que tudo na Índia é lindo e maravilhoso, e aí vem alguem como você dizendo que é o “inferno da Terra” — mas nenhum desses dois é a verdade. A Índia é um lugar de extremos — bons e ruins. O propósito deste post nem era para mostrar estes lados bons ou ruins da Índia; era só para esclarecer algumas impressões falsas que algumas pessoas ocidentais têm da Índia. E até você, que chama o país do “inferno”, não conseguiria dizer que tem nenhuma palavra neste post que não é verdade. Que triste que você odiou tanto as suas experiências na Índia que você nem aguenta ver outros mostrando a perspectiva equilabrada que a grande maioria tem do país…

  23. Ylana disse:

    Nossa, esse certamente é o blog com mais detalhes de informação que já vi, e super organizadinho rsrs parabéns! Tirou mta dúvida.

  24. Ylana disse:

    Sem falar que dei mta risada sobre os mitos e verdades kkk

  25. Andressa Dias disse:

    Tu é estadunidense mas teu site é em português? ? Fiquei curiosa

    • Alex disse:

      Sou originalmente dos EUA, mas casado com uma brasileira e morando em Minas. Já tem MUITAS informações sobre a Índia em inglês na net, mas eu percebi que estava faltando um bom site na língua portuguesa, então decidi cria-lo… 🙂

  26. Olá Alex, parabéns pelo blog! Simplesmente amando!
    Estou planejando uma viagem a Índia no começo do ano que vem. Gostaria de ficar por 6 meses, se der certo as questões de visto que ainda não fui atrás, pois estou aguardando meu passaporte.
    Quero fazer uma viagem profunda, onde consiga percorrer lugares sagrados e não sagrados, mas sobretudo, que consiga compreender este lugar que tanto me atrai e nem sei porquê.
    Na sua opinião, quais os lugares que seria interessante conhecer e que daria para fazer de trem, para no final destes 6 meses eu partir para a Ásia?
    Agradeço pelo excelente material disponibilizado!
    Abraços,
    André

    • Alex disse:

      Oi Andre,
      Entre os milhares e milhares de lugares que valem a pena conhecer na Índia, os melhores destinos para cada pessoa sempre vai depender muito dos interesses da pessoa. Aqui neste link, você pode conferir uma boa introdução a alguns dos principais pontos turísticos da Índia em várias categorias, para você já ir começando a pensar sobre quais mais te interessam!
      http://tudoindia.com.br/pontos-turisticos-da-india/
      (Mas tente sair da rota turística um pouco também, se você se atrever — podem ser os melhores momentos da sua viagem!)

  27. Suzan disse:

    Olá, Alex.
    Você pode me indicar algumas cidades para conhecer na Índia. Pretendo viajar em Dezembro e vou desembercar em Delhi, conhecer o Norte e partir para o Sul da Índia ( quero conhecer as cidades mais modernas). Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.