Ladakh – No telhado do mundo

Ladakh – um antigo reino budista nas altas montanhas do Himalaia.  Um destino turístico como nenhum outro na Índia – uma das regiões mais remotas e lindas do país, cheia de antigos mosteiros budistas e incríveis paisagens montanhosas.

Ladakh

Ladakh é um destino para quem quiser fazer outro tipo de turismo na Índia.  Não tem muitos templos hindus, arquitetura clássica muçulmana, elefantes e tigres, ou outras atrações turísticas “típicas” da Índia.  A cultura de Ladakh é mais parecida à cultura do antigo reino budista vizinho de Tibete – do qual Ladakh foi muito influenciado ao longo dos séculos (quanto a sua religião, comida, etc.)

buddha no mosteiro de nubra, ladakh

E esta cultura fascinante se encontra bem no meio das majestosas montanhas do alto Himalaia, uma região cheia de picos nevados e lagos azuis.  Tibete e Ladakh são chamados às vezes do “rooftop of the world” – o telhado do mundo.  Com uma combinação única de natureza e cultura, Ladakh vê a sua popularidade como destino turístico crescendo muito nos últimos anos.

De fato, Ladakh é tão remota que foi pouco conhecida entre os próprios indianos até o lançamento do superpopular filme indiano 3 Idiotas em 2009.  Mas depois da região fazer um papel muito importante neste filme, Ladakh virou um destino especialmente  procurado também entre os turistas indianos mais aventureiros!

 

Turismo em Ladakh

Como mencionado acima, a região de Ladakh é cheia de destinos fascinantes, tanto de cultura quanto de natureza – e as duas vêm juntas em muitos casos!

A cidadezinha de Leh é a antiga capital de Ladakh, e a base de quase todos os turistas que viajam pela região.

Os antigos mosteiros budistas (“gompas”) espalhados pela região estão entre os destinos mais populares para turistas em Ladakh.  Muitos desses mosteiros estão situados em lugares dramáticos nas montanhas.  Entre os mosteiros maiores e mais populares estão Thiksey, Hemis, e Lamayuru, mas tem dezenas de outros.  O budismo de Ladakh foi muito influenciado pelo budismo tibetano, e quem já leu ou estudou sobre o budismo tibetano vai reconhecer muito nas práticas religiosas aqui.

thiksey gompa - mosteiro em ladakh, india

Thiksey Gompa

em thiksey gompa, ladakh, india

dentro do Thiksey Gompa

(Note: Alguns dos mosteiros maiores de Ladakh já viraram muito turísticos.  Mas Ladakh é cheia de mosteiros grandes e pequenos.  Então, se você for visitar Ladakh, é indicado tentar visitar outros mosteiros menos conhecidos também – eu, pessoalmente, tive uma experiência muito legal visitando um mosteiro muito pequeno, acessado por uma trilha não-sinalizada atrás de um dos mosteiros mais famosos, Hemis.  E foi um mosteiro que eu nunca ia descobrir sem a ajuda de alguém que já tinha passado um tempinho lá muitos anos antes!  A região de Ladakh realmente foi feita para turistas com um espírito mais aventureiro – e é um ótimo lugar para sair da rota turística e simplesmente explorar!)

Além dos mosteiros, os palácios de Ladakh também são atrações famosas.  O de Leh, a capital, é o mais visitado – está localizado na colina que domina esta cidadezinha.  A família real morou aqui até o século 19, quando se mudou para Stok, onde o “novo” palácio também pode ser visitado.  Além do palácio de Leh, as ruínas de outro palácio antigo de Ladakh podem ser visitados em Shey, não muito longe da capital.

palácio de leh, ladakh

o palácio de Leh

Trekking é uma atividade muito popular em Ladakh.  Tem mil opções: caminhadas fáceis de 2 dias por vales tranquilos – e outras de 10 dias (ou mais) subindo vários passos altos nas montanhas. Leh é cheia de agências oferecendo diversas caminhadas guiadas em Ladakh.  Alguns destinos são fáceis para viajantes aventureiros visitarem independentemente – a caminhada de 4-5 dias pelo Markha Valley é provavelmente a mais popular.  Mas para alguns outros destinos, é melhor ir com guia, sobretudo por causa da barreira linguística que você vai encontrar nos vilarejos – Zanskar, por exemplo, é um destino popular para trekking na região.

subindo a trilha para o mosteiro

subindo a trilha para o mosteiro…

As montanhas de Ladakh tem vários lagos lindos que podem ser visitados.  Tso Moriri e Pangong Tso são os dois mais populares – os dois são bem longes da capital, perto da fronteira com o Tibete, mas muitas agências em Leh organizam excursões.

tso moriri, ladakh

Tso Moriri

Além do palácio antigo (e a cidade antiga), outras atrações em Leh, a capital, são o Shanti Stupa (stupa de paz, accessível por uma longa escada no oeste da cidade), uma fortaleza antiga (accessível por uma trilha atrás do palácio), e uns mosteiros pequenos perto do palácio.  Leh é pequena, e dá para chegar a qualquer lugar na cidade a pé.

shanti stupa, leh, ladakh

Shanti Stupa, Leh

Vale a pena notar que o longo caminho para Ladakh é incrivelmente lindo também, passando por vários passos altos nas montanhas durante uma viagem de dois dias –  a viagem é difícil, mas também pode ser um ponto alto de uma visita a Ladakh!  Veja mais detalhes abaixo sobre os caminhos para chegar na região.

no caminho para ladakh

no caminho para ladakh (1)

vida selvagem no caminho para ladakh

no caminho para ladakh

no caminho para Ladakh

Como chegar a Ladakh

Ladakh é tão remota que só tem dois caminhos para chegar na região por terra – e por qualquer desses dois caminhos, a viagem demora dois dias!  A terceira opção é pegar um voo doméstico.

As duas estradas para chegar em Ladakh vêm das cidades de Manali (em Himachal Pradesh) e Srinagar (em Caxemira)  As duas só abrem durante alguns meses todo ano – sim, estão fechadas a maioria do ano!  (Veja “Quando visitar Ladakh” abaixo.)

Viajando de Manali para Leh, no sentido norte, tem várias opções de ônibus e “jipes”.  Com quase todas essas opções, você vai passar uma noite no meio do caminho, provavelmente no vilarejo de Keylong, antes de seguir para Leh no dia seguinte.   Tem muitas agências de viagem em Manali com opções entre 1200 e 2700 rúpias (dependendo do veículo, se o preço da hospedagem está incluído, etc.)  Para quem tiver o orçamento baixo, também há ônibus públicos – 7 por dia viajam entre Manali e Keylong, custando umas 175 rúpias, e 1 por dia viaja entre Keylong e Leh, saindo as 5 da madrugada e custando umas 540 rúpias.

ônibus de Manali para ladakh, india

o ônibus público de Manali

Também tem ônibus de Srinagar para Leh, viajando no sentido leste.  Pegando o ônibus de Srinagar para Leh, você vai passar uma noite no meio do caminho em Kargil.  Porém, no momento, a região de Caxemira não está muito segura por causa de tensões políticas e religiosas – assim, o Tudo Índia indica o caminho saindo de Manali.

O jeito mais rápido (e caro) para chegar é um voo interno.  Tem um pequeno aeroporto perto de Leh, com voos diretos de 3 outras cidades no norte da Índia: Nova Délhi, Jammu, e Srinagar.  Não tem voos diretos de Mumbai ou de nenhuma outra cidade indiana.  A maioria das pessoas que chegam em Ladakh de avião vão de Délhi.  Passagens de Délhi para Ladakh custam entre 4.000 e 10.000 rupias (só ida) – dependendo muito da época do ano, etc.

 

Quando visitar Ladakh

De novo: Ladakh é tão remota que as duas estradas para chegar na região estão fechadas a maioria do ano!  As datas que abrem e fecham todo ano são diferentes – dependendo, respectivamente, de quando some a neve do inverno passado nos passos altos, e de quando vem a primeira neve do próximo inverno.

Geralmente, a estrada de Manali abre em junho e fecha antes do final de setembro.  A estrada de Srinagar geralmente abre em maio e fecha em outubro.

Entre junho e setembro, enquanto a maior parte da Índia está banhada nas chuvas das monções, o clima de Ladakh é agradável.  Pode soar estranho, mas as montanhas altas impedem que as chuvas das monções cheguem aqui!  Ainda faz um friozinho a noite, mas fora disso, é bem tranquilo viajar em Ladakh durante estes meses.  Quase todos os turistas visitam Ladakh nesta época do ano.  Julho e agosto são os meses mais “confortáveis”.

Fora desta época do ano, a maioria das pousadas, agências de viagem, etc., fecham – só abrindo quando os caminhos terrestres abrem de novo no ano que vem.  É possível chegar a Ladakh o resto do ano – mas só de avião.  E faz muito, muito, MUITO frio.  Uma visita a Ladakh fora dos meses junho-setembro é só para quem quiser experimentar a região quase sem turistas – e aguentar temperaturas bem abaixo de zero.

bandeiras tibetanas no vento, ladakh

Hospedagem em Ladakh

A única cidade em Ladakh com muitas opções de hospedagem é Leh, onde se encontra centenas de opções de pousadas (e hotéis) para todos os orçamentos.  Muitas das opções mais econômicas não aceitam reservas antecipadas, mas outras aceitam.

Fora de Leh, os outros principais assentamentos de Ladakh também tem hospedagem – mas geralmente tem poucas opções, e a maioria delas são bem simples e não aceitam reservas.  Em alguns lugares de Ladakh, é até possível, para quem se interessa, achar hospedagem em um mosteiro budista tradicional.

Note que a maioria das opções de hospedagem em Ladakh fecham no inverno!  Porém, algumas em Leh ficam abertas o ano todo.

Mais dicas para uma viagem a Ladakh

A saudação tradicional em Ladakh é “julley” – então cumprimenta o povo ladakhi com esta palavra (em vez de namaste) durante a sua visita!

mulher ladakhi

“Julley!”

Ladakh é uma região muito alta – Leh fica a uns 3.500 metros sobre o nível do mar, e outros assentamentos na região são ainda mais altos.  Os caminhos para a região também atravessam passos muito altos – chegando a mais de 5.300 metros no passo Khardung La, no caminho de Manali para Leh.  Isso coloca o vistante ao risco do assim chamado “mal de montanha” ou “doença das alturas”.  É essencial ler sobre essa condição (sintomas, tratamentos, etc.) antes de visitar a região.  Pegue leve nos primeiros dias nessas alturas, sobretudo se você chegar direto de Nova Délhi de avião – não tente subir montanhas ou caminhar por trilhas difíceis até o seu corpo se adaptar ao ar da região (que tem bem menos oxigênio do que você está acostumado.)  Ladakh literalmente vai te deixar sem fôlego quando você chegar!

Note que autorizações oficiais são exigidas para visitas a algumas regiões de Ladakh que ficam perto às fronteiras com a China (Tibete) e Paquistão, mas geralmente é só uma questão de pagar uma taxa e receber o papel.  Muitas agências em Leh podem ajudar com isso.  Não é preciso autorização para nenhum lugar perto de Leh (por exemplo, Thiksey ou Hemis) ou dos caminhos entre Leh e Manali/Srinagar – mas os lagos Tso Moriri e Pangong Tso só podem ser visitados com essa papelada.  Antes de visitar Ladakh, pesquise se vai precisar de permissões oficiais para os destinos específicos do seu itinerário.
musicos em ladakh, india

**********

Ladakh é um destino como nenhum outro na Índia – e uma visita a este lugar fascinante é *altamente* indicada para viajantes aventureiros que se encontram na Índia entre junho e setembro!



Sobre

Nasci nos Estados Unidos e vivi na Índia intermitentemente entre 2006 e 2014, em cidades como Ahmedabad e Mumbai. Atualmente moro em Minas Gerais. Já viajei em mais de 70 países, mas a Índia sempre vai ser muito especial para mim!

Marcado com: ,
2 comentários sobre “Ladakh – No telhado do mundo
  1. Ruben disse:

    Opa Alex tudo bem? Sou um fotógrafo de São Paulo e queria muito visitar Leh/Ladakh em Dezembro pra registrar 2 festivais que ocorrem: Galdan Namchok e Losar. Mas como li aqui e em outros foruns, é um trajeto inviavel. Você acha mesmo? Que não dá pra aguentar of rio por 10 dias e fazer ótimas fotos? Se não, me sugere outra região da Índia nessa época?

    Obrigado.

    • Alex disse:

      Oi Ruben,
      Olhe, como mencionei no post, dá para chegar lá em dezembro, mas só de avião. E além disso, vai fazer um frio intenso. Eu pessoalmente não ia querer visitar nesta época, mas claro que ainda tem gente que aguenta e visita! Depende de quanto você realmente quer as fotos desses festivais, hehe… :p
      Se você decidir não ir para Ladakh, tem muitíssimos outros lugares que você pode visitar fácil em dezembro (basicamente o resto do país fora das altas montanhas do Himalaia!) E pode ter certeza que vai ter oportunidades para tirar fotos ótimas em muitos cantos! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.