O sistema de castas na Índia

O sistema de castas na Índia ainda existe hoje em dia?  Como funcionam as castas indianas?  Essas são coisas que muita gente me pergunta ao saber que eu morei vários anos na Índia.  Muitos ouviram falar do sistema de castas na Índia, mas poucos entendem.  Vou tentar explicar um pouco do que eu aprendi dos amigos, do que eu observei aqui, etc. – para esclarecer a situação um pouco para vocês.

O que significa “casta”?

No sentido mais simples, uma “casta” é uma das classes ou comunidades em que a sociedade indiana se divide.  O que confunde muita gente é que, na Índia, tem dois tipos de divisões na sociedade, ambos sendo antigos – então o significado de “casta” fica um pouco complicado.

mulher indiana varrendoAs castas indianas

Quando os textos acadêmicos falam das “castas indianas”, tipicamente falam dos quatro “varnas”, que hoje em dia são mais teóricos.  Mas quando os indianos falam de castas na Índia hoje em dia, geralmente estão falando dos milhares de “jatis”.  O que é um “varna”?  O que é um “jati”?  Vou explicar:

VARNAS: Os Vedas (e outros antigos textos hindus) falam de quatro classes da sociedade: os brahmins (em português, brâmanes) – sacerdotes; os kshatriyas – guerreiros; os vaishyas – comerciantes; e os shudras – camponeses.  Esses são os varnas.  Fora desses quatro varnas, em uma categoria aparte, eram os chamados “intocáveis”, os párias (vou falar mais sobre eles embaixo).  Se você ler um texto acadêmico sobre as “castas” da Índia, vai ler sobre esse sistema de 4(+1) classes históricas da sociedade indiana.  Muitos indianos ainda se identificam como “brahmins” – mas fora deles, se você conversar com os indianos hoje em dia sobre suas castas, geralmente não vão estar falando desses varnas.

JATIS: Os jatis são milhares de comunidades, clãs, e tribos que existem na sociedade indiana.  Historicamente, cada indiano vivia quase completamente dentro do seu jati, socializando com outros da mesma comunidade e casando somente com pessoas da mesma comunidade.  A maioria dos jatis (embora não todos) vinham de profissões.  Então, se o seu pai era alfaiate, da casta de alfaiates, você também fazia parte dessa casta – pois você também ia trabalhar como alfaiate, e os seus filhos também, e todos iam casar com filhas de outros alfaiates!  Além de profissões, outros jatis foram formados de outros tipos de “comunidades” e grupos.

O sistema de estratificação da sociedade indiana era (e ainda é) muito complicado, com milhares de castas e subcastas, diferencias regionais, etc.   Às vezes todos os membros de um jati também eram (e são) membros do mesmo varna – mas não sempre.  Em todo caso, quando falamos do sistema de castas na Índia hoje, é principalmente do sistema complexo de jatis que precisamos falar.

Qual a origem das castas indianas?

Ninguém pode dizer exatamente; são muito antigas.  O sistema de castas indiano, apesar da sua origem no hinduísmo, mudou muito a forma com as invasões muçulmanas, e mudou ainda mais na época colonial.  A comunidade indiana muçulmana se dividiu em castas também, e até quem se converteu ao cristianismo geralmente manteve a identificação com a antiga casta da família.

Não posso explicar as origens das castas indianas, nem explicar todos os detalhes de como mudaram ao longo dos milênios.  Mas posso explicar um pouco sobre a situação hoje em dia na Índia.

O sistema de castas na Índia atual

A constituição da Índia, em 1947, proibiu discriminação com base na “religião, raça, casta, sexo, ou lugar de nascimento” de uma pessoa.  Desde 1950, muitas outras leis foram aprovadas para melhorar a situação das castas mais marginalizadas, sobretudo os dalits (o termo utilizado hoje para as castas mais baixas, incluindo os antigos “intocáveis”).  Mas o sistema de castas está tão profundamente arraigado na sociedade indiana que umas simples leis nunca iam conseguir eliminar as divisões – e apesar das leis teoricamente “abolindo” o sistema, ele ainda faz parte da vida da maioria dos indianos, em prática.

Existe mais mobilidade social na Índia agora que em qualquer momento da sua história documentada.  Várias pessoas de classes baixas conseguiram chegar a postos altos na sociedade e até no governo – em 1997, um dalit foi até eleito presidente da Índia!  Hoje em dia, é teoricamente possível para qualquer pessoa entrar em qualquer profissão – então só porque seu pai trabalhou como coletor de lixo, isso não significa mais que você tem que trabalhar nisso também.

Porém, em todo vilarejo do país, todo mundo ainda sabe a casta de todos os outros.  Mesmo nas cidades grandes, é muito fácil se informar sobre a casta de qualquer pessoa.  Além disso, as vezes até dá pra saber só pelo sobrenome da pessoa – muitos sobrenomes indianos vem das antigas profissões/castas.  E essa informação é utilizada pelos outros membros da sociedade em várias situações.

Por exemplo, ainda é raro na Índia casar com alguém de uma casta diferente.  Um estudo recente achou que a porcentagem de casamentos “inter-casta” na Índia é de apenas 5%; outro achou que é de 11%.  Quer dizer, uns 90-95% dos casamentos indianos ainda são entre pessoas da mesma casta!  A grande maioria dos casamentos na Índia ainda são arranjados pelos pais – e a casta do possível genro/nora é quase sempre um fator determinante na decisão deles.

O governo tenta incentivar casamentos inter-castas, reconhecendo que é bom para o país.  E, de fato, a porcentagem de casamentos entre pessoas de castas diferentes é bem maior que faz um século – quando quase não existia.  Mas ainda é pouco comum.  E segundo as pesquisas mencionadas acima, em vários estados, só 1-3% dos casamentos são inter-castas – muito menor ainda que a média nacional!  Nos populares “sites matrimoniais” da Índia, virou moda declarar “Caste no bar” – que a casta do potencial parceiro não seria um impedimento a um possível casamento com ele.  Mas as estatísticas mostram que, na prática, a grande maioria dos indianos acaba casando com alguém da mesma casta.

Mas não é só para casamentos que a casta importa.  Em muitos casos, a casta de uma pessoa também entra na conta de decisões de emprego, por exemplo.  A empresa americana em que eu trabalhava em Ahmedabad, Índia, tinha uma parceria com uma empresa indiana – e eu participei no processo de contratação de vários funcionários deles.  Revisei currículos, entrevistei candidatos, etc.  Muitos currículos incluíram a casta do candidato.  Em outros, a casta do candidato não estava declarada abertamente, mas ia ser muito fácil para os indianos da empresa deduzir essa informação (por exemplo, pelo sobrenome da pessoa, etc.)

Que eu saiba, essa empresa específica nunca tomou essa informação em conta nas decisões de recrutamento – mas não posso saber com certeza.  Mesmo sendo ilegal, às vezes essa informação é utilizada na decisão de emprego.  (E não só a casta – também a religião, por exemplo, que tipicamente também é possível deduzir pelo sobrenome na Índia.)  Geralmente isso toma a forma de um dono preferir contratar gente da mesma casta dele, ou de recusar de contratar gente das castas mais baixas.  Felizmente, as coisas parecem estar mudando pouco a pouco, e parece que as novas gerações de indianos urbanos estão mais abertas a sempre contratar o melhor funcionário, seja qual for a casta dele.

E é importante notar que a persistência do sistema de castas hoje em dia não é só por causa da discriminação!  Também existe um elemento de tradição – famílias que preferem continuar trabalhando na profissão dos avós e bisavós.  Por exemplo, os membros da casta Soni de Gujarat tradicionalmente trabalhavam como ourives – e hoje em dia, apesar de ter Sonis trabalhando em muitas profissões diferentes, ainda tem um número desproporcional que mantêm a tradição da família e continuam trabalhando com ouro.  (Soni também significa “ourives”, e isso é o sobrenome tradicional dos membros dessa casta.)  A situação é parecida, de alguma forma ou outra, em muitas outras castas.

Apesar das leis, o sistema de castas ainda existe nas mentes dos indianos.  Nos bairros mais modernos e “ocidentalizados” das cidades grandes da Índia, a importância das castas diminuiu bastante nas últimas décadas (embora ainda seja em uso, dependendo da pessoa).  A maioria dos meus amigos indianos são mais modernos – e “casta” simplesmente não significa nada para eles.  Nem pensam na casta do outro.  Mas eles são modernos – e são uma pequena minoria neste pais tradicional.  Fora desses círculos mais progressistas, em milhares de vilarejos e povoadinhos indianos, o sistema de castas ainda governa muitos aspectos da vida.

O que é um dalit?  Quem são os “intocáveis”?

Como foi mencionado acima, dalit é o termo utilizado na Índia hoje para as castas mais baixas, incluindo os antigos “intocáveis”.  “Intocável” era o termo utilizado historicamente para falar dos párias – as pessoas das castas mais baixas.  Eles trabalharam com coisas tão sujas (por exemplo, coletando lixo nas ruas) que os indianos das outras castas literalmente recusaram de tocar eles.  Dependendo do lugar, esses outros indianos também se separaram dos “intocáveis” de outras maneiras – por exemplo, não comeram juntos, não utilizaram os mesmos pratos, não deixaram os “intocáveis” entrarem nos templos, nas escolas, ou nas casas dos outros, etc.

A palavra “intocável” (“untouchable“) não está em uso na Índia hoje em dia e é altamente politicamente incorreta.  (Não use!)  O governo utiliza o termo “scheduled castes and scheduled tribes”, mas o termo mais utilizado hoje em dia é dalit.  De fato, este é o termo que eles mesmos preferem.

E como está a situação dos dalits na Índia atualmente?  Bom, já falamos da discriminação que as castas mais baixas ainda enfrentam quando se trata de assuntos como casamento ou emprego.  Muitas pessoas não deixaria o filho casar com uma dalit, ou não contrataria um dalit na sua empresa, por exemplo.  (Bom, tem até gente de casta alta que nem deixaria o filho casar com uma menina de outra casta alta, se não for a casta “correta”!)

Mas a situação dos dalits está muito melhor que antes, quando era impossível escapar daquelas profissões “sujas”.   Mesmo sendo difícil às vezes por causa dos preconceitos enraizados na cultura indiana, é teoricamente possível para os dalits entrarem em qualquer profissão e atingirem qualquer posto na Índia – e, como falamos, um dalit até chegou a ser presidente do país!  Atualmente estão representados no governo e em basicamente toda profissão – não só nos trabalhos tradicionalmente considerados “sujos”.

A constituição da Índia aboliu a discriminação contra os dalits oficialmente in 1947, e as várias leis aprovadas desde 1950 melhoraram a situação deles ainda mais.  Agora tem um sistema de cotas para os dalits nas universidades, e até alguns postos do governo; porém, isso é um assunto bem polêmico na Índia.

Apesar disso, em uma pesquisa recente, mais de seis décadas depois da abolição oficial de “intocabilidade”, 27% dos indianos que participaram admitiram que ainda seguem essa antiga prática até algum ponto ou outro.  Tinha uma grande variação entre os diferentes estados do país – só 1% no estado de Bengala Ocidental e 2% em Kerala, mas 50% em Himachal Pradesh e 53% em Madhya Pradesh, disseram que ainda praticam “intocabilidade”.

**********

Então, o que podemos dizer sobre o sistema de castas na Índia hoje em dia?  Bom, muito progresso já foi feito para eliminar as práticas discriminatórias – mais ainda tem muitíssimo progresso para fazer no futuro.




***Você está planejando uma viagem para a Índia? Você sabia que pode procurar em todos os principais sites de reservas de hotéis com um clique só?  Confira aqui!

Sobre

Nasci nos Estados Unidos e vivi na Índia intermitentemente entre 2006 e 2014, em cidades como Ahmedabad e Mumbai. Atualmente moro em Minas Gerais. Já viajei em mais de 70 países, mas a Índia sempre vai ser muito especial para mim!

Publicado em Cultura Indiana Marcado com:
22 comentários sobre “O sistema de castas na Índia
  1. Shizue Fukuda disse:

    Moro no Japão e fiquei assustada ao saber que ainda existe o Sistema de Castas no Japao.
    Eles lutam para acabar com a discriminação, felizmente penso eu que a proxima geração nãos sofra mais

    http://www.japaoemfoco.com/burakumin-uma-classe-discriminada-no-japao/

  2. Juliana disse:

    Olá Alex!
    Vc tem algum conhecimento ou chegou a conviver com os Sikhs do Punjab?
    Tem algum texto a respeito?

    • Alex disse:

      Oi Juliana! Eu conheci muitos Sikhs em outros cantos da Índia, mas ainda não visitei o Punjab; pretendo passar um tempinho lá em Abril e escrever sobre isso depois! 🙂
      Já visitei gurdwaras (templos Sikhs) em Nova Delhi, Ahmedabad, Mumbai, e até Munique (sério!)… sempre são oases de tranquilidade no meio das cidades grandes… e eu acho legal que os Sikhs sempre oferecem refeições de graça para qualquer pessoa que visitar (eu dou pequenas doações quando eu como, mas isso é ótimo para os pobres da comunidade)… no assunto do sistema de castas, eles adotaram os sobrenomes Singh (para homens) e Kaur (para mulheres), o que deve ser ao menos partcialmente ligado a uma rejeição do sistema de castas (como disse no post, outros sobrenomes geralmente são ligadas a castas específicas)… conheço o básico da religião e da cultura deles, mas vou esperar até abril para escrever postagens detalhadas… 🙂

  3. Taís disse:

    Tenho 5 amigos indianos que conheci através de redes sociais, mas eles recuam sempre que pergunto a respeito do sistema de castas.

    • Alex disse:

      Oi Taís! Sim, é um assunto muito delicado para os indianos (inclusive para indianos mais modernos que rejeitam o sistema mais ainda vivem dentro da sociedade indiana). Eu também sempre queria saber mais, mas geralmente só conversei sobre isso com gente que eu conheci bem, quando surgiu naturalmente na conversa. Em todo caso, espero que o post tenha esclarecido algumas coisas!

  4. carlos disse:

    Como se chama a casta da Índia em que seus membros vivem despidos e homens e mulheres praticam o celibatismo

    • Alex disse:

      Oi Carlos,

      Seria impossível existir uma casta assim – casta é uma coisa que é sempre trasmitida dos pais para os filhos! Então se existisse uma casta assim, ia sumir depois de uma geração!

      Existem algums ascetas hindus (chamados “sadhus”) que vivem do jeito que você descreveu – mas gente de qualquer casta pode escolher viver a vida de um sadhu. Todos os sadhus praticam o celibatismo, mas só alguns escolhem viver despidos.

      Pode pensar nisso mais como uma crença religiosa (que a pessoa escolhe) – isso é bem diferente de uma casta (que é um tipo de classe social herdado dos pais). Espero que tenha ficado claro!

      Alex

  5. Imara Reis disse:

    E como os dalits são identificáveis? Existe alguma característica pessoal? Não há como eles possam fingir ser de outra casta?

    • Alex disse:

      A maioria da população indiana mora em vilarejos e zonas rurais, onde basicamente todo mundo já conhece todo mundo (e os pais conheciam os pais, e os avós conheciam os avós, etc.), ou conhece alguem que conhece. Mas até nas cidades grandes, tem vários jeitos de saber a casta de uma pessoa; eu dei acima o exemplo comum do sobrenome. Além disso, em muitos casos ainda trabalham nas profissões tradicionais da casta — então quem vê alguem limpando um banheiro já pode adivinhar. E sim, em alguns casos, dá para ver pela cara — pois tem muitos grupos étnicos distintos na Índia, e vários deles, sobretudo das tribos indigenas (“adivasis”), estão classificados como dalits. As vezes até o dialeto ou os costumes da pessoa também podem dar pistas.

  6. Juliana Luiza disse:

    Olá! Gostaria de saber uma coisa: Os atores indianos, eles pertencem a que casta?

  7. Julia disse:

    Excelente artigo. Muito obrigada

  8. Alzemir Tossin disse:

    Bacana. Gosto muito de tudo sobre a India. Muito bonito tua atitude de divulgar isso. NAMASTE.

  9. Josy cavalcante disse:

    Seu blog é sensacional,descobri a pouco mas já li quase tudo, estou gostando bastante Parabéns,que venham mais e mais conteúdo.

  10. Anônimo disse:

    oi

  11. cristiane birk disse:

    oi alex estou me relacionando com um indiano pelo facebok, ele me pediu em casamento so que estou reciosa de ir morar la,naõ sei que casta ele è ,sei que saõ vegetarianos,ele é engenheiro trabalha numa empresa a uns seis anos,mas o que quero ti perguntar é sera que isso sobre o pedido de casamento é verdade,sera que vaõ me aceitar os pais dele,naõ sei pode ser que ele so esteja me enrolando ,por favor me ajude o nome dele é chintan patel

    • Alex disse:

      Oi Cristiane,
      Eu não posso saber sobre a sua situação específica, mas posso dizer que sempre é bom ter muito cuidado nessas situações, pois tem várias histórias de caras indianos tentando enrolar mulheres estrangeiras (inclusive mulheres brasileiras) que conheciam pela internet… tenha muito cuidado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.