Himalaia

As montanhas espetaculares do Himalaia são as mais altas do mundo.  Chegam a uma altura máxima de 8.848m no topo do monte Everest – a montanha mais alta do mundo, localizado na fronteira entre o Nepal e a China.

Monte Everest, no Himalaia

Monte Everest

Onde fica o Himalaia?

Com 2500 quilômetros em total, a grande cordilheira do Himalaia está localizada no sul da Ásia, passando pelos países de Índia, Nepal, China (Tibete), Butão, e Paquistão.

Apesar de ser as mais altas da Terra, as montanhas do Himalaia estão entre as mais jovens – nasceram faz “só” uns 50 milhões de anos, com a colisão da placa tectônica do subcontinente indiano com a do resto do continente da Eurásia.

Turismo no Himalaia indiano

Uma grande porção da cordilheira do Himalaia passa pelo norte da Índia, principalmente nos estados de Uttarakhand, Himachal Pradesh, e Jammu & Kashmir.

montanhas do Himalaia, Kashmir (Caxemira), Índia

Kashmir (Caxemira)

A região do Himalaia é muito procurada pelos turistas (estrangeiros e indianos) – sobretudo no verão, quando as cidades e vilarejos nas montanhas são ótimos lugares para se refrescar do calor intenso que invade a maioria do país nesta época do ano.  Os ingleses construíram vários “hill stations” na região na época colonial para esse propósito mesmo, e estes ainda estão entre as cidadezinhas mais agradáveis para visitar na Índia.  Muitas têm oportunidades para fazer trilhas e outras atividades nas montanhas.

Uttarakhand

Char Dham – Quatro lugares de peregrinagem (“yatra“) que são muito importantes no hinduísmo.  Gangotri é a fonte do sagrado Rio Gânges, enquanto Yamunotri é a fonte do sagrado Rio Yamuna; Kedarnath é ligado ao deus hindú Shiva, e Badrinath ao deus hindú Vishnu.  Os quatro destinos estão entre os lugares mais sagrados e importantes no Himalaia para peregrinos hindus.

Corbett National Park – Este foi o primeiro parque nacional na Índia – e é um dos parques nacionais indianos onde é possível andar de elefante e ver tigres.

Dehra Dun – A capital do estado de Uttarakhand e conhecida na Índia como um grande centro de educação desde a época colonial, mas não tem muito para oferecer aos turistas estrangeiros.

O Rio Ganges em Haridwar, Índia

O Rio Ganges em Haridwar

Haridwar – Uma cidade muito sagrada para os hindus, nas margens do Rio Ganges.  É o sítio de vários festivais religiosos (entre eles o famoso Kumbh Mela), e atrai muitíssimos peregrinos hindus.  Perto de Rishikesh, a cidade de Haridwar é muito menos turística – apesar de ser muito mais sagrada para os fieis hindus.

Mussoorie – Um hill station construído pelos britânicos, famoso pelas suas vistas pitorescas.  É um lugar preferido para lua de mel entre os indianos.

Nainital – Outro hill station construído pelos britânicos, aqui as vistas mais famosas são as do bonito lago “Naini Tal” no vale abaixo.

Rishikesh – Uma cidade nas margens do Rio Ganges, perto de Haridwar; os Beatles passaram um tempinho em um ashram aqui nos anos 60.  A indústria de yoga em Rishikesh cresceu muito nas últimas décadas – e agora é uma cidadezinha muito turística, às vezes chamada da “capital mundial de yoga”, com muitos ashrams orientados aos estrangeiros e muitos lugares para estrangeiros praticarem ou estudarem yoga com professores anglofalantes.  Enquanto os milhares de turistas estrangeiros vêm para Rishikesh para fazer yoga e participar em outras práticas espirituais, a cidade virou especialmente popular entre os turistas indianos para esportes de aventura – especialmente o rafting.

Valley of Flowers National Park – Um parque nacional famoso pela sua beleza natural – sobretudo as flores que cobrem o vale na época das monções.

Himachal Pradesh

Shimla – Capital do estado, e ex-“capital de verão” do governo colonial britânico – para escapar do calor de Nova Délhi, o governo inteiro se mudou para Shimla todo verão por muitos anos!  A cidade ainda é conhecida pela sua arquitetura colonial.

Shimla, Himachal Pradesh, Índia

Shimla

Dalhousie – Um hill station que é mais relaxado que os outros mais famosos e turísticos.

Dharamsala – A cidade onde mora o Dalai Lama, e por isso abriga a maior comunidade de tibetanos exilados na Índia.  Também já virou uma cidade muito turística, cheia de estrangeiros interessados em budismo – a maioria dos estrangeiros ficam em McLeod Ganj, bem perto da própria cidade de Dharamsala.

Lahaul & Spiti – Estas duas regiões, no caminho para Ladakh, tem paisagens impressionantes – sobretudo no alto deserto de Spiti.

Manali – Outro hill station muito popular entre turistas estrangeiros e indianos.  É um lugar procurado pelos estrangeiros para esportes de aventura, e pelos indianos para lua de mel.  Manali e o distrito vizinho de Kullu também são famosos pelas oportunidades de fazer trekking nas montanhas da região.

Jammu & Kashmir (Caxemira)

O estado de Jammu & Kashmir (Caxemira em português), no extremo norte da Índia, é famoso pela beleza das suas paisagens montanhosas.  Mesmo assim, é uma região menos visitada pelos turistas estrangeiros por causa do conflito que as vezes se reacende entre a Índia e o Paquistão.  Jammu & Kashmir é o único estado da Índia onde a maioria da população é muçulmana.

A capital do estado, Srinagar, geralmente é segura, e hoje em dia a maioria dos outros destinos no estado também são, mas ainda é bom se informar com gente de lá antes de explorar.  Em Srinagar, a atividade mais popular entre turistas é passar um tempinho numa casa flutuante no Dal Lake, o lago principal da cidade.

Ladakh

O lago Tso Moriri em Ladakh

O lago Tso Moriri em Ladakh

O distrito de Ladakh oficialmente faz parte do estado de Jammu & Kashmir, mas é um mundo aparte.  A única região da Índia onde uma grande porcentagem da população é budista (quase a metade), Ladakh é localizado nas montanhas impressionantes do “Transimalaia”, na fronteira com o Tibete – uma região com que a sua cultura e história são interligadas.

A popularidade de Ladakh entre turistas estrangeiros e indianos está aumentando muito nos últimos anos, graças a suas paisagens maravilhosas e cultura tibetana budista. As duas estradas que chegam à capital do distrito, Leh, estão fechadas a maior parte do ano por causa da neve, abrindo só entre junho e setembro.  As montanhas altas do Himalaia impedem que as chuvas das monções cheguem a Ladakh nestes meses, e a região fica árida e seca.  Tem muitas oportunidades de fazer trekking nos vales esplêndidos ao redor.

Você pode ler mais sobre Ladakh no Blog Tudo Índia.

Nordeste da Índia

Darjeeling – Este hill station é famoso no mundo inteiro pelo chá proveniente da região.  Além de plantações de chá, Darjeeling tem muita arquitetura colonial, vistas do Himalaia, e uma mistura fascinante de culturas, com muita influência do Nepal; também é possível visitar mosteiros budistas aqui.  Muitos turistas gostam de chegar em Darjeeling no antigo “toy train” (um trem “de brinquedo” à vapor que sobe lentamente pelas montanhas da cidade de Kurseong para Darjeeling.)

Sikkim – Encaixado entre o Tibete, Nepal, e Butão, o pequeno estado de Sikkim é cheio de vistas panorâmicas das montanhas do Himalaia – a mais famosa aqui sendo Kanchenjunga, a terceira mais alta montanha do mundo, localizada na fronteira entre Sikkim e Nepal.  Como em Ladakh, a cultura de Sikkim foi muito influenciada pelo Tibete, e tem muitos mosteiros budistas para visitar aqui também.  Gangtok é a capital do estado, mas outros vilarejos talvez são mais interessantes.  Yuksom é um destino muito popular para quem quiser fazer trekking, enquanto Pelling tem as mais famosas vistas de Kanchenjunga.

Arunachal Pradesh – No extremo nordeste da Índia, o estado remoto de Arunachal Pradesh é fascinante – mas pouco visitado pelos turistas.  O mosteiro budista de Tawang (o segundo maior mosteiro do mundo) é o destino que se destaca no estado.

 

Leia mais no nosso blog sobre Dharamsala, Ladakh, Tawang, e outros destinos budistas na Índia – ou procure hotéis em Darjeeling, Rishikesh, Manali, ou outros destinos no Himalaia da Índia.