Hinduísmo

Hinduísmo é um sistema diverso de crenças religiosas indianas – com literalmente milhões de deuses!  Mais que uma simples religião, o hinduísmo abrange uma variada gama de ideias, filosofias, crenças, e práticas religiosas e espirituais do subcontinente indiano.

O hinduísmo é a terceira maior religião no mundo atualmente (depois do cristianismo e do islã).  A religião hindu é praticada por 80% da população da Índia, com mais de 900 milhões de adeptos no país – além de muitos milhões a mais no Nepal e em outros países ao redor do mundo, onde moram os descendentes do povo do subcontinente indiano.  Esta página vai apresentar um resumo do hinduísmo – uma introdução básica a esta religião muito complexa.

 

O que é hinduísmo?  Em que acreditam os hindus?

Hinduísmo não é uma simples religião com um único sistema de crenças – é bem diferente neste sentido do catolicismo, por exemplo.  Como mencionamos acima, a religião hindu abrange uma diversa gama de crenças e práticas religiosas – e vamos descrever alguns deles abaixo.

Segundo os Vedas (textos sagrados hindus), tem 330 milhões de deuses e deusas!  Não todos esses são venerados cotidianamente pelos hindus – mas, em uma viagem pela Índia, se pode encontrar templos dedicados a dezenas de deuses diferentes.  Diferentes adeptos do hinduísmo tem afinidades com diferentes deuses hindus e diferentes costumes religiosos.

A mitologia hindu é muito desenvolvida e complexa – e todo hindu escolhe as coisas (deuses, práticas, filosofias, etc.) com as quais ele se identifica.  O hinduísmo não tem uma só “bíblia”, não tem figura central como o Papa, e não tem nenhuma organização ou sede centralizada como o Vaticano.  A prática do hinduísmo é muito individual, com certas tendências sendo mais ou menos fortes dependendo da região – por exemplo, a veneração das deusas hindus é especialmente popular no leste da Índia.

Brahman é o nome dado pelos hindus ao que eles consideram a “realidade absoluta” e universal – um tipo de princípio cósmico, infinito, e eterno que se manifesta em tudo que existe no mundo.  Apesar de todos os hindus concordarem que o brahman existe, diferentes escolas do hinduísmo entendem este conceito de jeitos diferentes.

Os três deuses hindus Brahma, Vishnu, e Shiva são considerados manifestações do brahman – Brahma no seu aspecto de criador, Vishnu no seu aspecto de preservador, e Shiva no seu aspecto de destruídor ou transformador.   Todos os outros deuses hindus são considerados manifestações ou encarnações (avatares) desses três – mais sobre os deuses hindus abaixo.

Entre as ideias mais importantes na filosofia hindu estão dharma (ética), karma (ação e consequências), samsara (o ciclo de renascimento), moksha (libertação), e os diversos yogas (caminhos para atingir a libertação).  Os hindus acreditam na reencarnação da alma.

Entre os ritos e costumes mais importantes do hinduísmo estão puja, aarti, e outras adorações dos deuses nos templos, nas casas, e em outros lugares sagrados.  Também importantes são as celebrações dos festivais hindus (veja abaixo).  A vaca é sagrada no hinduísmo, e muitos hindus escolhem seguir uma dieta vegetariana.  Outras atividades comuns entre os adeptos do hinduísmo são a meditação, o yoga, e o canto de mantras – nenhuma dessas coisas sendo obrigatória, mas sim uma escolha pessoal dependendo de como se identifica com a crença e religião.

 

Deuses hindus

Como foi mencionado acima, os Vedas dizem que existem 330 milhões de deuses.  E como também foi mencionado acima, os 3 deuses hindus mais importantes são Brahma (o criador), Vishnu (o preservador), e Shiva (o destruidor ou transformador) – e todos os outros deuses são considerados manifestações desses três.

Entre os outros deuses hindus que se destacam estão:

  • Rama – um avatar do deus Vishnu, e a figura central do poema épico hindu Ramayana.
  • Ganesha (ou Ganesh) – um deus com cabeça de elefante, filho do Shiva e sua esposa Parvati, e talvez o deus hindu mais popular na Índia.
  • Hanuman, um deus-macaco, avatar do deus Shiva, e devoto do Rama.

O aspecto feminino do divino é chamado de Devi ou Shakti, e as deusas hindus são encarnações dela.  Entre as deusas hindus que se destacam estão:

  • Lakshmi – deusa da riqueza e fortuna, consorte do Vishnu.
  • Saraswati – deusa das artes, consorte do Brahma.
  • Parvati – consorte do Shiva.
  • Kali
  • Durga

(Em breve, o Tudo Índia vai apresentar informações mais detalhadas sobre os deuses e as deusas mais importantes do hinduísmo; curta o Tudo Índia no Facebook para ficar sempre atualizado com as novidades do site.)

 

Livros sagrados do hinduísmo

Entre as escrituras sagradas do hinduísmo estão os Vedas, os Upanishads, o Ramayana, e o Mahabharata.  O famoso Bhagavad Gita forma parte do Mahabharata, que é considerado o poema mais longo que existe.

Os Vedas são uma grande coleção de diversos hinos e outros textos religiosos, supostamente compostos entre 1500 e 1000 a.C.  Estes textos são organizados em quatro partes: o Rigveda, o Yajurveda, o Samaveda, e o Atharvaveda.

Os Upanishads são outra grande coleção de textos; tratam muito do brahman (a “realidade absoluta”) e das almas.  Estes textos formam a base da filosofia hindu e das tradições da religião.

O Ramayana é um poema épico que conta a história do príncipe Rama – de como ele foi exilado do reino do seu pai; das suas viagens pela Índia com Sita, a sua esposa, e Lakshmana, o seu irmão; do rapto da Sita pelo demônio Ravana; da guerra de Rama contra Ravana para resgatar a Sita; e do retorno de Rama para o reino natal para ser coroado como o novo rei.

O Mahabharata é outro poema épico, que conta a história da Guerra de Kurukshetra entre dois clãs, os Kaurava e os Pandava – mas também trata muito de filosofia.  O Mahabharata é considerado o poema mais longo que existe – contem uns 1,8 milhões de palavras.

O Bhagavad Gita é uma parte do Mahabharata que relata um diálogo no campo da batalha entre Arjuna (um príncipe dos Pandava) e o deus hindu Krishna.  Aborda muitos temas da filosofia e ética hindu.

Estes livros sagrados do hinduísmo foram escritos em sânscrito, uma antiga língua indiana que também é a origem de todos os termos mencionados acima.  A língua sânscrita ainda é considerada sagrada no hinduísmo e é utilizada nos ritos religiosos e nos templos.

 

Templos hindus

A Índia tem um número incrível de templos hindus – milhares e milhares, de todos os tamanhos.   Os hindus acham qualquer motivo para construir um templo, grande ou pequeno, onde for – às vezes é difícil de caminhar 200 metros na Índia sem passar por um!

Geralmente, diferentes templos hindus são dedicados a deuses diferentes.  Alguns templos hindus são muito grandes, enquanto outros são bem pequeninhos – não existe o costume de fazer sermão ou outros grandes eventos no templo, então alguns templos hindus só tem o suficiente de espaço para algumas pessoas entrarem para venerar o deus do templo.

O foco do templo hindu é um ídolo do deus (ou da deusa) principal a qual o templo é dedicado.  Tipicamente este ídolo é acompanhando por ídolos menores de outros deuses ou deusas que, na mitologia hindu, tem alguma conexão com o deus principal.  Muitos templos hindus também contêm esculturas, gravuras, pinturas, ou outras imagens que contam diversas histórias mitológicas.

Ao entrar no templo, o devoto reverencia o deus a qual o templo é dedicado.  O puja é um típico rito religioso envolvendo uma oferenda ao deus; entre as oferendas comuns aos deuses estão cocos e outras comidas doces.  Os sacerdotes executam diversos ritos religiosos no templo, fazem orações e cantam hinos em sânscrito, etc.  Quando um sacerdote hindu faz um puja, geralmente ele distribui depois (a todas as pessoas presentes) porções da comida da oferenda; isso é chamado de prasad.  (Se você estiver em um templo hindu quando o sacerdote faz um puja, você pode esperar receber prasad depois – e os hindus consideram muito auspicioso comer da comida que foi consagrada como oferenda ao deus.)

Esteticamente, os templos hindus são muito diversos – com sua arquitetura dependendo muito da região e de outros fatores.  Os templos da região indiana de Tamil Nadu, por exemplo, são bem diferentes dos templos da região de Odisha, que são bem diferentes dos templos do Nepal.  Em algumas regiões, a forma dos templos também se desenvolveu ao longo dos anos, com os templos mais modernos sendo um pouco diferentes dos templos hindus antigos da região.

 

Lugares sagrados do hinduísmo

O subcontinente indiano é cheio de lugares que são sagrados para os adeptos do hinduísmo por ter alguma ou outra ligação à mitologia hindu.  Os livros sagrados hindus contem muitas histórias dos diversos deuses e deusas – e essas histórias se passam por todo o território atual da Índia e até em lugares que atualmente se encontram dentro do território de Sri Lanka, Nepal, Tibete, etc.  Existem literalmente centenas (talvez milhares) de destinos de peregrinagem e outros lugares consagrados para os adeptos do hinduísmo – não só na Índia, mas também em outras regiões do mundo onde o hinduísmo é praticado.

O famoso Rio Ganges, chamado de Ganga na Índia, é sagrado para os hindus – e é venerado como uma deusa mãe.

Os sete mais sagrados destinos de peregrinação hindu são chamados de Sapta Puri; essas cidades são Haridwar, Varanasi, Ayodhya, Mathura, Ujjain, Dwarka, e Kanchipuram.  (Em breve vamos postar mais informações sobre o significado de cada uma dessas cidades no Blog Tudo Índia.)  Haridwar é localizada onde o Rio Ganges sai das montanhas do Himalaia; Varanasi também se encontra nas margens deste rio sagrado.

Os Char Dham são outros quatro destinos muito importantes para peregrinos hindus, nos quatro lados da região; são Badrinath (no norte da Índia), Puri (no leste da Índia), Rameswaram (no sul da Índia), e Dwarka (no oeste da Índia).

Outro grupo de quatro destinos importantes de peregrinação hindu que também são chamados de Char Dham (ou Chhota Char Dham) são os seguintes: Gangotri (a fonte do sagrado rio Ganges), Yamunotri (a fonte do sagrado rio Yamuna), Badrinath, e Kedarnath.  Todos esses destinos se encontram nas montanhas do Himalaia.

O Kumbh Mela é um grande festival de peregrinação hindu que acontece a cada 3 anos, revezando entre quatro cidades sagradas – Allahabad, Haridwar, Nashik, e Ujjain – em um ciclo de 12 anos.  O de Allahabad, chamado de Maha Kumbh Mela, é o mais importante e sagrado – é aqui que os dois rios sagrados, Ganga (Ganges) e Yamuna, se encontram com o místico rio “invisível” Saraswati.

Esses são só alguns das centenas ou milhares de destinos sagrados notáveis do hinduísmo.  Entre os outros que se destacam estão os seguintes: Tirumala (um templo em cima de uma colina no sul da Índia que supostamente recebe mais peregrinos que qualquer outro lugar religioso no mundo inteiro), Katra (onde tem um especialmente importante templo da deusa Vaishno Devi), e Shirdi (de onde vem o famoso guru Sai Baba, que era, e ainda é, especialmente popular entre os hindus).  Também vale a pena mencionar Rishikesh, uma cidade perto de Haridwar nas margens do rio Ganges, que ficou especialmente popular nas últimas décadas entre as pessoas ocidentais que praticam yoga.

 

Festivais hindus

No calendário hindu, os dois festivais mais importantes são Diwali (o festival de luz) e Holi (o festival de cores).  Navratri e Dussehra estão entre os outros festivais importantes; a importância relativa dos diversos festivais hindus varia muito de uma região para outra.  O ano inteiro, sempre está acontecendo um festival hindu em alguma região ou outra da Índia!

Há muitos festivais dedicados a deuses hindus específicos.  Maha Shivratri, por exemplo, é um importante festival dedicado ao deus Shiva.  Ganesh Chaturthi é um grande festival dedicado ao deus Ganesha, sendo especialmente popular em Mumbai e Maharashtra.  Estes festivais são celebrados com muito vigor pelos devotos desses deuses.

O Kumbh Mela, mencionado acima, é supostamente o maior festival do mundo, com milhões de devotos hindus se banhando em rios sagrados.

 

Mais sobre o hinduísmo

Para explicações sobre palavras que tem a ver com o hinduísmo (e muitos outros aspectos da Índia), veja nosso glossário de palavras indianas.

Confira também nossa página sobre as outras religiões da Índia.

E veja no Blog Tudo Índia:
9 mitos sobre a Índia que você precisa parar de acreditar